Perdas das seguradoras com catástrofes naturais em 2017 foram as mais altas da história

09 de Janeiro de 2018

Perdas das seguradoras com catástrofes naturais em 2017 foram as mais altas da história

Somente três furacões geraram prejuízos totais de US$251 bilhões, aponta relatório da Munich Re

As catástrofes naturais que assolaram o mundo em 2017 custaram à indústria seguradora a cifra record de US$ 135 bilhões, de um total de perdas que chegaram a US$ 330 bilhões. Valor, este, só superado em 2011, quando o terremoto e o tsunami que atingiram o Japão e destruíram a usina de Fukushima ajudaram a elevar as perdas por catástrofes naturais ao montante de US$ 354 bilhões.

As estatísticas divulgadas em relatório da Munich Re apontam que aproximadamente 10 mil pessoas perderam a vida em 2017, em 710 catástrofes naturais de relevância registradas. Número bem acima da média, que é de 605 eventos desse tipo por ano.

Entre os eventos que geraram maior prejuízo estão os furacões Harvey, Irma e Maria, que castigaram os Estados Unidos e, juntos, geraram perdas de US$251 bilhões, sendo que, destas, cerca de US$100 bilhões foram absorvidas pela indústria seguradora.

Segundo o diretor da Munich Re responsável por resseguros globais, Torsten Jeworrek, apesar de não ser possível relacionar diretamente a intensidade desses furacões com as mudanças climáticas, a expectativa é que eventos extremos dessa magnitude venham ocorrer com cada vez mais frequência no fururo.

>> Clique aqui para ler o relatório na íntegra

© Copyright 2016 | CNseg | Rua Senador Dantas 74, 13º andar - Centro - Rio de Janeiro, RJ - CEP 20031-205 | Tel. 21 2510 7777