Voltar ao topo

FMI melhora previsão do PIB brasileiro neste ano

Taxa é elevada para 1,9% e deve fortalecer resultado da América Latina e Caribe

22 de Janeiro de 2018 - CNseg

Relatório do Fundo Monetário Internacional (FMI), divulgado nesta segunda-feira (22), assinala que a recuperação da economia brasileira vai contribuir para a expansão mais vistosa da América Latina neste ano e em 2019. Pelas contas do FMI, a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro será de 1,9% e 2,1% neste ano e no próximo, respectivamente, segundo o documento “Perspectiva Econômica Global”. Em outubro, o FMI previa alta de 1,5% e 2% na taxa brasileira. O FMI revisou sua estimativa de crescimento da economia em 2017, que terá alcançado 1,1% e não mais 0,7%, como previsto em outubro.

Ao lado do Brasil, o México é outro país que fortalecerá o desempenho da América Latina. Segundo o FMI, a economia mexicana continua a receber sinalizações positivas pela maior demanda vinda dos Estados Unidos. Em seu relatório, o FMI cita preços mais fortes das commodities e condições melhores de financiamento a exportadores como razões de um crescimento regional maior.

No caso brasileiro, apesar da reação, seu crescimento continuará menor do que o resto do mundo. Segundo o FMI, a economia global vai ter expansão de 3,9% tanto em 2018 quanto em 2019, e haverá boas surpresas na Europa e na Ásia, além do impulso com a reforma tributária dos Estados Unidos. Comparado com o desempenho dos países emergentes e em desenvolvimento, o resultado do Brasil fica ainda pior. Para esse grupo, o FMI projeta expansão de 4,9% em 2018 e 5% em 2019.

Pelos cálculos do FMI, a América Latina e o Caribe registraram crescimento de 1,3% em 2017, devendo ter alta de 1,9% e de 2,6% nos dois anos seguintes.

CONTEÚDOS RELACIONADOS