Voltar ao topo

Maior gestora de ativos do mundo abraça o clima e FEM define riscos globais 2020

O 44º Boletim da SUREC sobre Sustentabilidade e inovação em Seguros também destaca a ausência de representantes brasileiros na discussão sobre Amazônia em Davos, na Suíça.

24 de Janeiro de 2020 - Publicações

 

Este boletim informativo é direcionado ao público que interage com a CNseg no tema. Trata-se de um compilado de notícias extraídas de fontes nacionais e internacionais, como o Boletim da Federação Internacional de Associações de Seguros (GFIA, na sigla em inglês), disponibilizado semanalmente no site da CNseg.

Boletim da GFIA

Mudança substancial" mostra como a BlackRock abraça o risco climático (Investment and Pensions Europe) A BlackRock anunciou hoje um conjunto de iniciativas destinadas a colocar sustentabilidade no centro de sua abordagem de investimento, com um grande investidor de pensões do Reino Unido saudando uma "mudança substancial e compromisso com a transparência"... A notícia está disponível somente em inglês. 

A evolução dos quadros de política monetária no ambiente pós-crise (VoxEU.org) Os quadros de política monetária evoluíram desde a crise global… A notícia está disponível somente em inglês.

O WEF publica os principais riscos globais para 2020 (The Actuary) Os cinco principais riscos de longo prazo que os países enfrentarão na próxima década estão todos ligados ao meio ambiente, alertou hoje o Fórum Econômico Mundial (WEF)...

Outras notícias

Davos discute Amazônia sem representantes brasileiros (O Globo) No debate dedicado unicamente à região amazônica, o único brasileiro presente foi o climatologista Carlos Nobre, do INPE.

Faltam 100 segundos para a meia-noite no Relógio do Juízo Final (The Guardian) A combinação do avanço do aquecimento global e das tensões internacionais disparadas pelos EUA fizeram com que o ponteiro do Relógio do Juízo Final ficasse o mais perto da meia-noite desde que foi criado.

Oferta de fotovoltaicas é a maior do próximo leilão (ClimaInfo) Em maio, haverá um leilão de energia elétrica para projetos que devem começar a operar em 2024. Dos mais de 1.500 projetos ofertados, quase 800 são fotovoltaicos e somam 55% das ofertas em termos de capacidade instalada: mais de 28 GW solares, de um total de mais de 51 GW. Serão ofertados, também, mais 20 GW de mais de 700 projetos eólicos.  

Próximos Eventos

Oficina de Indicadores do Relatório de Sustentabilidade – 18/2

9º Encontro de Resseguros do Rio de Janeiro - 15/4 a 16/4

  BolSustSegInt.jpg

 

CONTEÚDOS RELACIONADOS