Voltar ao topo
image/svg+xml

Ação Pela Paz, organização apoiada pela CNseg, se planeja para os investimentos sociais em 2021

Os investimentos serão focados em projetos para pessoas privadas de liberdade e egressas do sistema prisional e com o objetivo de diminuir a reincidência criminal

26 de Fevereiro de 2021 - Instituto Ação Pela Paz

 

A missão do Instituto Ação Pela, organização da sociedade civil que possui a CNseg como apoiadora, é apoiar o Estado e a sociedade civil em iniciativas que contribuam com a diminuição da reincidência criminal. Para alcançar o objetivo, a organização é dividida em duas áreas de projetos, uma atuando diretamente com pessoas privadas de liberdade, em unidades prisionais; e a outra com egressos do sistema prisional. Ambas possuem as famílias e os servidores públicos como público, tudo para beneficiar os que possuem ligação com o sistema penitenciário brasileiro.

Em 2020, mesmo em um ano pandêmico, foram 65 projetos investidos nas assistências de geração de renda, atendimento psicossocial, educação e apoio a organização da sociedade civil, impactando 13.897 pessoas diretamente.

Um novo ano começou, novos desafios e projetos chegam. As áreas se debruçaram em seus conhecimentos e realizaram, cada qual da sua forma, respeitando as especificidades de cada público atendido, seus planejamentos para 2021.

PROJETOS COM PESSOAS PRIVADAS DE LIBERDADE

Com a pandemia, ocasionada pela Covid-19, as unidades prisionais, com o objetivo de diminuir a proliferação do vírus entre os reeducandos, passaram a não receber pessoas externas. Todos os projetos que tinham voluntários, professores, educadores e afins, que precisavam acessar as dependências das unidades, foram paralisados.

Tentando fazer um planejamento mais seguro, tendo esse panorama do ano que passou e fazendo uma escuta ativa com os envolvidos, a equipe construiu conjuntamente com os proponentes, muitos deles diretores de unidades prisionais, o planejamento dos projetos com reeducandos.

“A ideia de ter um planejamento cocriado com eles é para que eles participassem e se sentissem parte do processo de construir os projetos e dos resultados”, comenta Daniella Reina, Analista de Projetos do Ação Pela Paz.

Com o planejamento feito, chegou o momento de voltar a conversa com os envolvidos no processo para a construção dos projetos com justificativa, objetivos, atividades, indicadores quanti e qualitativos, metodologia e orçamento para que possa ser submetido ao conselho do Instituto para aprovação e colher os frutos.

PROJETOS COM EGRESSOS DO SISTEMA PRISIONAL

Uma das maiores demandas das pessoas que passaram pelo sistema prisional é gerar renda. Com as altas taxas de desempregos que assolam a população brasileira, os egressos prisionais também foram impactados com a redução de oportunidades de trabalho e muitos desligamentos em 2020, segundo as organizações apoiadas pelo Ação Pela Paz. A partir desse cenário, enxergou-se a possiblidade de apoiar o empreendedorismo com este público.

“A ideia é desenvolver e potencializar projetos e iniciativas que promovam o empreendedorismo com as pessoas que tiveram passagem pelo cárcere. É apoiá-los nas construções de seus pequenos negócios de acordo com seus sonhos e alcance ou capacitá-los em alguma área para que gerem oportunidades de renda, para não dependerem de um emprego formal”, diz Kaio Nunes, Analista de Comunicação do Ação Pela Paz.

Além dos projetos de empreendedorismo, a área continuará contribuindo para o fortalecimento e expansão das organizações da sociedade civil e as apoiará no desenvolvimento de parcerias com empresas, instituições de educação e apoio psicossocial.

Quer saber mais sobre o Instituto Ação Pela Paz? Entre em contato com: contato@acaopelapaz.org.br

 

CONTEÚDOS RELACIONADOS

Este site usa cookies para otimizar a sua navegação. Se não permitir, pode desativar essa opção no seu navegador ou sair do site.