Voltar ao topo

Executivo do Banco Central  da China considera as empresas de gestão de ativos não licenciadas como uma ameaça à estabilidade financeira

Leie esta e outros artigos e notícias no Boletim GFIA

04 de Setembro de 2020 - Boletim GFIA

Boletim de Monitoramento | 25 de agosto de 2020

A Agência de notícias Reuters informa que um executivo do Banco Central  da China considera as empresas de gestão de ativos não licenciadas como uma ameaça à estabilidade financeira. A esse respeito, o Presidente da CNseg, Marcio Coriolano, afirmou que “a preocupação do Banco Central chinês com aventureiros atuando em serviços financeiros demonstra que esse temor não é uma exclusividade brasileira. Pelo menos na atividade securitária, onde a ameaça são associações que oferecem “proteções” de bens sem mostrar as diferenças com o seguro. E, além disso, sem cumprir as exigências regulatórias e de solvência impostas pela Susep. Para além da concorrência desleal, o risco é semelhante ao do caso chinês: a celebração de negócios à margem da regulação estatal e  com grande potencial de prejudicar contratantes e provocar instabilidade no segmento em que se inserirem.” 

Sobre a GFIA

A Federação Global de Associações de Seguros (GFIA, na sigla em inglês) é uma associação sem fins lucrativos criada para representar as associações de seguros nacionais e regionais que atendam aos interesses gerais das empresas de seguro de Vida, Saúde, Seguros Gerais e Resseguro. A instituição tem como objetivo fazer representações aos governos nacionais, reguladores internacionais e outros em nome do mercado segurador mundial. Com 40 instituições associadas, entre elas a CNseg, a GFIA representa cerca de 87% do total de produção de prêmio de seguros no mundo.

Semanalmente, a GFIA distribui aos seus membros um Boletim com um compilado de consultas, publicações e notícias com o objetivo de contribuir para um diálogo internacional sobre questões de interesse comum do mercado segurador.

Para mais informações sobre a GFIA, acesse seu site institucional: www.gfiainsurance.org/en/

Consultas e Publicações Recentes

  • No dia 19 de agosto, a Organização Mundial do Comércio divulgou o Índice Barômetro do Comércio de Bens, que mostrou uma queda histórica no comércio global durante o segundo trimestre de 2020.
  • No dia 21 de agosto, o Conselho de Estabilidade Financeira (FSB) anunciou que um workshop de consulta virtual sobre a avaliação dos efeitos da reforma “too-big-to-fail”, acontecerá às 13h00 (CEST) na sexta-feira, 4 de setembro.
  • No dia 25 de agosto, o FSB publicou uma metodologia com critérios para avaliação da conformidade de estruturas de liquidações para o setor de seguros.

Recortes de Imprensa

Coronavírus

Pandemia agora está sendo impulsionada por grupos de pessoas de 20, 30 e 40 anos, muitos assintomáticos: OMS (Reuters) A Organização Mundial de Saúde disse na terça-feira que estava preocupada que a nova propagação do coronavírus estivesse sendo causada por pessoas na faixa dos 20, 30 e 40 anos, muitas das quais não sabiam que estavam infectadas, o que representa um perigo para grupos vulneráveis...

Perdas registradas por resseguradoras e seguradoras decorrentes da COVID-19 crescem 23%, para US$ 24,8 bilhões (Reinsurance News) As perdas relacionadas ao COVID-19 registradas publicamente entre as maiores seguradoras e resseguradoras globais aumentaram quase 23%, chegando a US $ 24,8 bilhões, de acordo com dados compilados pela consultoria de serviços financeiros com sede em Zurique PeriStrat LLC…

A pandemia impulsionou os lucros das seguradoras de automóveis pessoais no curto prazo (Insurance Journal) Por pior que tenha sido a pandemia do coronavírus para muitas linhas de seguros, os lucros do ramo de automóveis pessoais dispararam graças à redução do número de pessoas dirigindo, à medida que quarentenas e restrições de circulação se estabeleceram nos Estados Unidos no início de 2020, Fitch…

AM Best mantém a perspectiva do resseguro estável ao longo da pandemia de COVID-19 (Reinsurance News) Em 2019, a agência de classificação AM Best observou uma melhora geral nas condições do mercado de seguros não-vida, o que significa que eles foram capazes de manter suas perspectivas de resseguro estáveis em 2020, mesmo durante a pandemia COVID-19...

Macroeconomia

Penetração do seguro na China aumenta para quase 6% no primeiro semestre de 2020 (Reinsurance News) O regulador chinês reportou que a posição da indústria de seguros da China em relação a toda a economia nacional continuou melhorando, à medida que a penetração do seguro está aumentando...

O crescimento do seguro da China será o mais forte em todo o mundo em 2020: Swiss Re (Reinsurance News) Graças à eficácia da China na implementação de medidas para ajudar sua economia a se recuperar dos impactos abrangentes do COVID-19, a Swiss Re espera que o crescimento da indústria de seguros do país seja o mais forte do mundo em 2020...

As empresas de gestão de ativos não licenciadas da China ainda são uma ameaça, disse um executivo do banco central (Reuters) Algumas empresas de gestão de ativos não licenciadas ainda estão operando na China, causando uma "séria ameaça à estabilidade financeira", segundo um executivo do banco central da China...

COVID-19 vai contrair a indústria de seguros do Japão em 2020: GlobalData (Reinsurance News) A indústria de seguros gerais do Japão deve contrair 0,9% em 2020, em comparação com o crescimento de 1,7% registrado em 2019, de acordo com a empresa de dados e análises GlobalData…

Outros

O papel das seguradoras e resseguradoras "sem dúvida mudou" em 2020: Paul Donnelly, da Munich Re (Reinsurance News) À Reinsurance News, Paul Donnely, Vice Presidente Executivo da Munich Re Soluções de Automação para a Europa, Oriente Médio e África, afirmou que o distanciamento social forçou seguradoras e resseguradoras e a se afastarem de critérios pessoais em seus contratos, uma vez que a interação pessoal não é possível...

O impacto econômico do Katrina hoje seria US$ 40 bilhões maior: Swiss Re (Reinsurance News) Um novo relatório do Swiss Re Institute estimou que os custos econômicos poderiam chegar a US$ 200 bilhões se o furacão Katrina atingisse Nova Orleans em 2020, mais de US$ 40 bilhões a mais do que o total de 2005...

 

 

 

 

 

CONTEÚDOS RELACIONADOS