Voltar ao topo
image/svg+xml

GFIA protesta contra metodologia da FSB

Federação Global de Associações de Seguros divulga comunicado a imprensa

24 de Julho de 2013 - CNseg

Em comunicado à imprensa, a Federação Global de Associações de Seguros (GFIA, na sigla em inglês), disse estar desapontada por o Conselho de Estabilidade Financeira (FSB, na sigla em inglês) não haver dado reconhecimento e importância às características específicas do modelo do negócio segurador ao anunciar a metodologia para identificar as seguradoras sistemicamente importantes (G-SIIs, na sigla em inglês). Segundo Frank Swedlove, presidente da GFIA, "qualquer metodologia e medidas potenciais que sejam aplicadas às companhias de seguros deveriam refletir esta realidade em uma maior medida em relação ao que foi feito até o momento”.

Veja abaixo a íntegra do comuidado da GFIA.

COMUNICADO À IMPRENSA - GFIA

Reconhecimento insuficiente das particularidades do seguro na proposta sobre as G-SII (Seguradoras Globais Sistemicamente Importantes)

Bruxelas – A Federação Global de Associações de Seguros (GFIA) vê com decepção o fato de não se haver dado maior reconhecimento e importância às características específicas do modelo do negócio segurador na publicação de ontem do Conselho de Estabilidade Financeira (FSB) sobre a metodologia para identificar as seguradoras sistemicamente importantes (G-SIIs), uma lista de G-SIIs e as medidas a serem a elas aplicadas.

Frank Swedlove, presidente da GFIA, disse: “A GFIA está muito decepcionada por não ter havido uma maior adaptação do trabalho realizado para tratar o risco sistêmico no setor bancário, no sentido de criar as medidas e a metodologia para o setor segurador. A natureza dos ativos e passivos das seguradoras é muito diferente da dos bancos. Qualquer metodologia e medidas potenciais que sejam aplicadas às companhias de seguros deveriam refletir esta realidade em uma maior medida em relação ao que foi feito até o momento”.

As exigências impostas às seguradoras designadas como G-SIIs devem promover uma diversificação contínua do risco e reconhecer os fatores de diferenciação específicos do seguro.

A GFIA também está preocupada de que a metodologia proposta acarrete a inclusão das entidades na lista, não tanto pelo risco que representam ao sistema financeiro, mas principalmente devido a seu tamanho, o qual não é um fator de risco em seguros.

“A GFIA apoia os esforços no sentido de melhorar a estabilidade financeira. Estudaremos agora as propostas mais de perto e nos manteremos comprometidos em trabalhar com o FSB e com a Associação Internacional de Supervisores de Seguros para encontrar soluções que sejam viáveis na prática e que não prejudiquem a capacidade do setor segurador para atuar como um amortecedor de choques - diversificando o risco globalmente - e como um investidor de longo prazo”, disse Swedlove.
Notas para os editores

1. Para mais informações, por favor, entre em contato com Janina Clark, contato da imprensa da Secretaria da GFIA, (Tel.: +32 2 894 30 82, clark@GFIAinsurance.org)

2. A lista completa das associações afiliadas à GFIA e as cópias de todos os comunicados à imprensa, se encontram disponíveis no portal da GFIA (www.GFIAinsurance.org)

3. Por meio de suas 35 associações afiliadas, a Federação Global de Associações de Seguros (GFIA) representa os interesses dos seguradores e resseguradores de 56 países. Estas empresas representam cerca de 87% do total de prêmios de seguros no âmbito mundial. A GFIA está estabelecida na Suíça e a sua secretaria está sediada em Bruxelas.

>> Veja o comunicado original, em inglês

Este site usa cookies para otimizar a sua navegação. Se não permitir, pode desativar essa opção no seu navegador ou sair do site.