Voltar ao topo

Jogo Caminhoneiro Estou Seguro é lançado no Santa Marta

Ação faz parte da estratégia da CNseg de aproximação do público infanto-juvenil

17 de Dezembro de 2012 - CNseg

Solange

Para a diretora-executiva da CNseg, Solange Beatriz, o jogo Caminhoneiro Estou Seguro é um modo lúdico de aproximação com o público infanto-juvenil da comunidade

 

A  CNseg lançou neste domingo, 16 de dezembro, o jogo eletrônico “Caminhoneiro Estou Seguro”, na quadra da Escola de Samba do Santa Marta, em Botafogo. A iniciativa de criação do jogo faz parte do projeto de educação financeira Estou Seguro que é promovido na comunidade do Santa Marta desde 2009. E surgiu da necessidade de conscientização da população de baixa renda sobre a importância da gestão dos riscos cotidianos, proporcionando uma experiência lúdica e educativa sobre seguros para crianças e adolescentes. A comunidade cedeu um espaço na festa de Natal para as crianças do Santa Marta e a receptividade foi grande.

“O jogo, além de ensinar as pessoas a ter uma noção no trânsito, fala sobre seguro de vida, de carro, de saúde. Você tem de ganhar vida para continuar no jogo e ganhei vários seguros. Meu pai tem seguro de carro e minha avó tinha seguro de vida. Apesar de eu já conhecer um pouco, é sempre mais um aprendizado”, diz Vitor Cardoso Martins, uma das crianças que jogou diversas partidas nos totens instalados na festa.

Já Vitor Hugo Avelar de Souza, outra criança da comunidade presente ao evento,  destacou a qualidade técnica do jogo. “O jogo é bastante realista, o lago parece lago de verdade, tem caminhão, trator, ônibus e até orellhão! A gente aprende a dirigir e ainda peguei dois seguros, um de vida e outro para consertar o caminhão. Eu não conhecia seguro, minha família só tem seguro de carro”, diz Vitor.

João Ponciano, proprietário da Guanabara Games, empresa especializada em jogos para publicidade, observou que procurou sair do padrão dos advergames e investir em recursos para tornar a atividade mais lúdica.

“A maior parte das empresas desenvolve jogos maçantes só mostrando a marca. Como nós tivemos o desafio de fazer um jogo para o público infanto-juvenil, procuramos usar recursos gráficos intensos. E colocamos dinâmicas com dez seguros, entre eles vida, saúde, automóvel, residencial, acidentes pessoais. O jogador pode coletar cinco seguros entre as fases e comprar outros cinco com créditos que levam  em conta o número de seguros que ele coletou, o tempo que completou o circuito, a vida, pois tem que observar direção defensiva, e a quantidade de carga”, descreve Ponciano.

Dois totens interativos foram instalados na comunidade, na Casa do Seguro, a sua utilização será gratuita. Também serão distribuídos pendrives para instalação nos computadores das residências. As crianças e adolescentes poderão participar de campeonatos organizados pela equipe do Projeto e concorrer a prêmios atrativos. Segundo Pedro Henrique Fernandez Pinheiro, coordenador do Projeto Estou Seguro, as pesquisas realizadas no Santa Marta mostraram que o público infanto-juvenil é estratégico na formação de opinião da família.

“A gente acredita que educando desde cedo as crianças para a importância dos seguros e a gestão dos riscos a que estão submetidos em seu cotidiano, eles vão levar esta mensagem para dentro de casa e com isso a gente vai poder aprimorar  os resultados que já estamos obtendo no projeto. Estamos na segunda fase e tivemos seis meses de atividades de comunicação com teatro no palco na entrada da comunidade e intervenções e dinâmicas dentro das vielas com o grupo Carroças de Mamulengos. Encerrada a fase de comunicação ainda teremos mais seis meses de projeto”, diz Pinheiro.

“Esta iniciativa do jogo Caminhoneiro Estou Seguro, é mais uma tentativa de aproximação com a comunidade mas agora focado no público infanto-juvenil que é formador de opinião e quem leva informações novas para as famílias. A gente acredita que é uma forma não só eficiente de passar os conceitos do seguro, como também uma forma lúdica de lidar com esta população infanto-juvenil”, acrescenta Solange Beatriz Palheiro Mendes, diretora-executiva da CNseg.

O Projeto Estou Seguro foi lançado em 2009 com o apoio da Organização Internacional do Trabalho – OIT que tem um departamento de desenvolvimento de projetos de microsseguros, a Microinsurance Innovation Facility. Agora na segunda fase a CNseg e o mercado estão financiando sua continuidade. Maria Elena Bidino, superintendente de Relações com o Mercado da CNseg destaca que o projeto tem objetivo educativo, de levar os conceitos de risco e seguro para essa camada da população, a venda é decorrência, e para as empresas é a oportunidade de conhecer este público novo.

“O Projeto Estou Seguro foi altamente positivo ao criar uma oportunidade de diálogo da indústria com a comunidade. É reconhecido em toda os fóruns internacionais em que participamos. A interação com a comunidade é fantástica; um exemplo é esta festa de Natal que eles nos permitiram participar para apresentar o jogo para mais de 1500 crianças”, comemora Bidino.


 

CONTEÚDOS RELACIONADOS