Voltar ao topo

Por um Brasil mais seguro

Confira o artigo de Solange Senese para a coluna de Opinião da CNseg

28 de Agosto de 2020 - Artigos

por: Solange Rosalem Senese*

senese.jpgMeu nome é Instituto Ação Pela Paz e nasci em 2015. Gosto do meu nome porque carrega a força da AÇÃO e o propósito da PAZ. A violência e insegurança vividas no Brasil foram as motivações para eu estar aqui! 

Os números assustam. O Brasil tem, em média, 60.000 homicídios por ano e possuímos a terceira maior população prisional do mundo, com 726.000 pessoas presas, sendo 55% jovens entre 18 e 29 anos. E mais, os índices estimados de reincidência criminal giram em torno de 70%.

Esse cenário foi suficiente pra definir que a minha missão de vida seria “apoiar o poder público e a sociedade civil em iniciativas que pudessem impactar na redução da reincidência criminal”.

Antes de eu nascer, várias pessoas foram convidadas por Jayme Garfinkel e Solange Senese para contribuírem e opinarem sobre como eu deveria me comportar e quais seriam meus princípios. Aconteceram diálogos com especialistas como Dr. Dráuzio Varella, Juiz Jayme Garcia, Servidores Públicos que atuam em presídios, educadores e psicólogos. Também foram ouvidos egressos do sistema prisional e familiares de pessoas que ainda estavam privadas de liberdade. 

Além dos recursos financeiros pra eu crescer forte, seria essencial aproximar todos que pudessem apoiar o meu desenvolvimento. A Fecomércio e a Porto Seguro estavam desde o princípio, mas foi na CNseg que encontrei a força para me tornar o Instituto Ação Pela Paz. 

Meus princípios são claros, não sou assistencialista e somente apoio projetos com indicadores mensuráveis, apartidários e passíveis de se tornarem política pública.

Reconheço que, apesar do seu esforço, o Poder Público precisa contar com a contribuição da sociedade civil para vencer a violência. Dessa forma, me esforço pra engajar a todos na busca de soluções. Há muito que aprender, mas a força dessa união é potente. 

Carrego o mesmo DNA do segmento dos seguros. São minha referência porque agimos no presente pra garantir o futuro melhor, contanto sempre com a participação de cada um!    

Ainda é cedo pra festejar, mas já tenho resultados pra mostrar. Mais de 6.000 pessoas passaram por projetos que apoiei, entre egressos, reeducandos, pessoas em cumprimento de penas alternativas, familiares e servidores públicos.

Em 2019 foram 67 projetos, com 4.981 participações. No Estado de São Paulo, graças à parceria com o Poder Judiciário, obtivemos a aferição da reincidência daqueles que participaram dos projetos apoiados pelo Programa SEMEAR entre 2015 e 2018. Dos 2.661 participantes, 1.357 deixaram os presídios e somente 87 reingressaram ao sistema prisional, correspondendo a 6,5%.

Tenho a consciência que pouco realizo sozinho e que o resultado sempre será mérito coletivo, a começar pela pessoa egressa que decide se desenvolver e não retornar ao crime, do Poder Público porque confia em mim e abre espaços para trabalharmos juntos, além dos empresários que oferecem oportunidades de emprego, os proponentes e voluntários que se engajam em projetos e os financiadores que me mantém atuante. 

Me despeço com a humildade que as tarefas que me aguardam exigem e com gratidão pela missão que a vida me confiou. 

Termino te convidando para que identifique seu espaço de contribuição, se junte a mim e confie num Brasil melhor, pra todos! 

A paz de todos é a sua paz!   Instituto Ação Pela Paz. 

Conheça mais sobre mim:

*Solange Rosalem Senese é Diretora Executiva e Cofundadora do Instituto Ação Pela Paz, economista e especialista em Sócio Psicologia pela Faculdade de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP), atua desde 1999 no Sistema Penitenciário. De um jeito novo conta a história do Ação Pela Paz, convidando o leitor e as instituições a refletirem sobre o poder da união de todos e a buscarem seus espaços de contribuição pra fazer a diferença em nosso país.

 

CONTEÚDOS RELACIONADOS