Voltar ao topo
image/svg+xml

Projeto realiza Constelação Familiar focada no mundo do trabalho

Egressos do sistema prisional e familiares de pessoas privadas de liberdade são beneficiadas pela iniciativa

21 de Dezembro de 2020 - Instituto Ação Pela Paz

“Uma pessoa está em paz quando todas as pessoas que pertencem à sua família têm lugar no seu coração”. A frase é do Bert Hellinger, alemão e criador da Constelação Familiar, uma prática terapêutica que busca resolver conflitos familiares que atravessam gerações.

Egressos do sistema prisional e familiares de pessoas privadas de liberdade estão tendo a possibilidade de resolver conflitos familiares participando de Constelações Familiares conduzidas pela Regina Borowski Tedeschi e sua assistente Maria Isabel Campanha.

“Por meio do trabalho de meditação e exercícios sistêmicos, cada participante sente em seu corpo o que é lidar com suas crenças, com sentimentos aflitivos como a raiva, o inconformismo e, também, com a alegria, a leveza, a esperança das experiências construtivas já realizadas”, comenta Regina. Os encontros estão focando no trabalho, fazendo os presentes refletir como suas trajetórias e de suas famílias podem auxiliar nesta fase da vida.

O projeto acontece em parceira com o Instituto Responsa, Coordenadoria de Reintegração Social e Cidadania (CRSC) da Secretaria de Administração Penitenciaria (SAP) do estado de São Paulo e o Instituto Ação Pela Paz, organização apoiada pelo Ação Pela Paz. “Acreditamos que o projeto possibilita aos participantes esse momento de repensar nessa atualidade, nessa nova demanda das relações pessoais e profissionais”, comenta Wilson Barthiman, Psicólogo da Central de Atenção ao Egresso e Família (CAEF) de São Paulo.

Dos participantes, 72% não conheciam a terapia e está é uma oportunidade para que os egressas e familiares de pessoas privadas de liberdade possam compreender algumas questões e obstáculos que pode gerar dificuldades de se desenvolverem profissionalmente. “A constelação é muito importante por trabalhar questões de outras gerações e, para nosso público, trabalhar esses problemas é muito significativo para que eles possam evoluir no seu processo individual”, reflete Karine Vieira, Fundadora do Responsa.

Os encontros acontecem todos quintas-feiras, até janeiro, às 14h. É egresso ou familiar de pessoa privada de liberdade e mora em São Paulo (SP) e ficou interessado? Venha participar! Entre em contato com contato@acaopelapaz.org.br , organização apoiada pela CNseg.

CONTEÚDOS RELACIONADOS

Este site usa cookies para otimizar a sua navegação. Se não permitir, pode desativar essa opção no seu navegador ou sair do site.