Voltar ao topo

RH: comissão discute mobilidade durante Olimpíadas

Empresa Olímpica Municipal pede que empresas reduzam deslocamento de funcionários durante os jogos

01 de Outubro de 2015 - CNseg

Representantes da Empresa Olímpica Municipal do Rio de Janeiro e membros da Comissão de Recursos Humanos da CNseg reuniram para discutir os impactos na mobilidade da cidade do Rio durante a realização dos Jogos Olímpicos (5 a 21 de agosto) e Paralímpicos de 2016(07 a 18 de setembro).

No encontro, ocorrido no último dia 29, na sede da CNseg, o diretor de Operações da Cidade, Leonardo Maciel, fez um apelo para que as empresas do mercado tentem reduzir o deslocamento de seus funcionários durante os jogos. A ideia é baixar o fluxo em 40% dos funcionários casa-trabalho-casa durante os Jogos Olímpicos e em 10% nos Jogos Paralímpicos. Pelo menos dois feriados foram decretados para o período (5 e 18 de agosto). Além disso, a Prefeitura determinou o deslocamento das férias escolares para o período de 1º  a 28 de agosto.

Motivo? Representantes de 206 nações, 15 mil atletas, mais de 70 mil voluntários estarão no Rio neste período, quando serão realizadas 665 competições, divididas em 42 modalidades olímpicas e 23 paraolímpicas em 32 instalações da cidade, como o Estádio Olímpico, o Maracanã e o Maracanãzinho, a Arena Rio, o Parque Aquático Maria Lenk, o Sambódromo, a Marina da Glória, o Riocentro, entre outros.

A expectativa é que, no primeiro dia (05/08), tenha mais pessoas circulando pela cidade do que nos sete dias de jogos da Copa. Serão instalados 'Live Sites' (ao menos 3) na Região Portuária, onde antes ficava o Elevado da Perimetral, entre a Praça XV e o Armazém 7; no Parque Madureira, na Zona Norte; e no Centro Esportivo Miécimo da Silva, em Campo Grande, permitindo que cariocas e turistas que não possuam ingressos possam assistir aos jogos.

Também serão realizados shows (parecido com o Fifa Fun Fest). Ele informou ainda que haverá a participação do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e do presidente de Cuba, Raul Castro, no evento, o que provavelmente será o primeiro encontro dos dois após o fim do embargo dos EUA a Cuba.

Ele assinalou que a participação do presidente Obama aumenta, e muito, o risco de atentados terroristas, mais comum em Jogos Olímpicos do que em Copas do Mundo. Por fim, listou algumas medidas que serão adotadas durante os jogos, restringindo a mobilidade e a prestação de serviços.

No caso de obras, intervenções nas ruas e avenidas estarão proibidas. Só poderão ser realizadas obras emergenciais (CEG, Light, Cedae). Também as concessionárias deverão fazer um planejamento das obras e serviços (Embratel, Oi e etc.).

Durante os jogos, grandes obras imobiliárias em áreas olímpicas serão interrompidas durante os jogos. No tráfego, haverá faixa Olímpica na cidade toda, na qual não é permitida circulação de carro. Passará somente a família Olímpica.

As operações de carga e descarga só serão permitidas nos horários noturnos, e algumas vias terão restrição de veículos e sentidos alterados. Áreas de estacionamento serão modificadas para maximizar o fluxo de veículos (proibição de estacionamento no entorno das instalações olímpicas).

E perícias em túneis e vias expressas deverão ser mais eficientes para liberar as vias mais rapidamente. Os transportes públicos terão horários estendidos e frequência aumentada para assegurar deslocamentos com o máximo conforto; informações sobre áreas com maior movimento e horários críticos serão disponibilizadas aos cidadãos para que planejem melhor suas viagens.

>> Veja aqui a apresentação do Plano Operacional da Cidade

 

© Copyright - CNseg

© Copyright - FenSeg

© Copyright - FenaPrevi

© Copyright - FenaSaúde

© Copyright - FenaCap

© Copyright - Educação em Seguros

© Copyright - Poder Público